Cirurgia Torácica Minimamente Invasiva

No Brasil
A Cirurgia Torácica Minimamente Invasiva foi introduzida pioneiramente no Brasil em 1991 e o Prof. Dr. Luis Carlos Losso se tornou um dos lideres e principal referência em operações minimamente invasivas para doenças do tórax; com resultados cirúrgicos crítica e consistentemente analisados e do mais alto nível de qualidade e segurança, a experiência o coloca nos primeiros lugares de um limitado grupo de elite e renomado da Cirurgia Torácica Minimamente Invasiva.

As vantagens das Cirurgias Torácicas Minimamente Invasivas
As operações minimamente invasivas utilizam pequenas incisões na parede torácica e eliminam a necessidade de se afastar as costelas durante a operação, o que reduz de maneira significativa o trauma cirúrgico e suas consequencias.
As vantagens da cirurgia torácica minimamente invasiva são as incisões menores, o menor risco de infecção, as internações hospitalares mais curtas, menor risco anestésico, menos dano tecidual, menor impacto na resposta imunológica, menos dor operatória, menos complicações pós-operatórias, tempo mais rápido de recuperação, menor interferência em tratamentos contra o câncer como a quimioterapia/imunoterapia e melhora da qualidade de vida.

Como são realizadas as Cirurgias Torácicas Minimamente Invasivas?
Cirurgia Torácica Vídeo-assistida
Esta técnica envolve a inserção de uma câmera de vídeo por uma pequena incisão entre as costelas; o cirurgião inspeciona toda a cavidade torácica e instrumentos especialmente projetados são inseridos através de incisões semelhantes, pelas quais o cirurgião manipula as estruturas e órgãos e realize a operação; evita-se deste modo a necessidade das grandes incisões convencionais.

Cirurgia Torácica Robótica
Uma tecnologia relacionada, a cirurgia torácica assistida por robô usa computadores para auxiliar o controle dos instrumentos pelo cirurgião. A diferença essencial é que o cirurgião controla o movimento dos instrumentos a partir de um console e não manipula diretamente os instrumentos durante a operação.